sexta-feira, junho 12, 2015

DISCUTINDO RELAÇÃO



Senhoras e senhores, vamos discutir, rapidamente nossa relação.

Sou o editor, moderador e escriba deste modesto bloguinho, que já acumula mais de 4 anos.

Reconheço que este diário virtual ora é flor, ora é florete, perfuma, mas às vezes, "sangra".

No entanto, não invento fatos. Tenho protocolar compromisso com a informação, por formação jornalística e mesmo no espaço da Opinião, abro veredas para textos dos quais discordo, frontalmente, mas que são úteis ao debate e a discussão democrática.

Sou um crítico do governo de plantão no Município, porque conheço suas entranhas, sua índole. É um grupo de parca perspectiva histórica, que se utiliza do Poder para o projeto megalomaníaco do líder espiritual dos povos.

Venho de lá. E enquanto estive naquelas trincheiras, fiz valer meu apoio crítico, minhas inquietações e minhas discordâncias, mas partidos são assim, sobretudo, no Brasil, onde é capaz de dividir a mesma executiva partidária um latifundiário e um sem terra. Água e vinagre. Partidos, nessa ilha de Vera Cruz, são bancas de negócios.

Rompi, saí, fiz nova tentativa de volta e descobri que eu havia mudado, mas o grupo era uma coleção de figuras de pedras. Os mesmos, imutáveis.

Se quisesse consumar o sonho de ser candidato à prefeito, era fazer a lição de casa e repetir o modus operandi do chefe, o Poder à qualquer preço, sem limites éticos e sem caráter.

Não, assim não. Não sou santo, mas não sou demônio.

Pelejo aqui nesta trincheira, da forma que posso. Sinto muito não ter tido a chance de governar  esta terra altaneira, soberana, de história singular.

Aqui, cobro compromissos, denuncio abusos, desmascaro tartufos e, vez por outra, nomino fariseus e vendilhões. Com isso, ganhei o ódio ressentido de alguns, que desejam minha derrocada, me ameaçam, anonimamente, xingam, ofendem porque temem perder o coxo. Já lhes disse, se escreverem com modos, sem palavrões, publico seus argumentos, caso contrário, uso uma única tecla (delete) e os despejo no lixo da história.

Quanto a mim, "vou sobrevivendo sem nenhum arranhão, da caridade de quem me detesta"

12 comentários:

  1. Excelente texto, mas você faz com a língua portuguesa o que o Garotinho fez com a ética e com a economia. Erros básicos de uso da crase ( candidato à prefeito. Santo Deus!), pontuação e colocação pronominal. ,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, a crase indevida me condena, mas a sóciolingüística me redime,uma vez que a língua é um meio de inclusão e não, o contrário. De qualquer forma, sua correção é bem vinda. abraços

      Excluir
    2. Verdade Fernando Leite 2016, A sociolingüística interacionista tem dado atenção especial ao uso da linguagem na comunicação, investigando sua constituição, suas regras e convenções, os contextos em que se realiza e as condições segundo as quais os indivíduos agem em determinadas situações de fala. O diálogo tem, também, uma importância central do ponto de vista filosófico. Isso é pressuposto teórico em toda análise conceitual realizada na filosofia da linguagem comum. Tendo em vista as dimensões deste trabalho, através de exemplos, serão observados alguns casos específicos de não-coperação que condicionam falhas no diálogo; através desta análise será possível assinalar do que depende a compreensão e significação dos proferimentos em um possível diálogo em que os falantes usam atos de fala diversos para se comunicarem.

      O resto é resto mesmo.

      FORTE ABRAÇO

      XO ROSINHA GAROTINHA
      XO GAROTINHO

      Excluir
  2. Fernando você é o cara.Quatro anos de artigos fabulosos que nos enriquece através de blog que não tem nada de modesto ele na verdade é poderosíssimo e extremamente correto . Parabéns estamos contigo amigo!

    ResponderExcluir
  3. Aeee Fernando!
    Eles passarão e se tornarão rodapé da história e você?
    Você passarinho !
    👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  4. Luciana Soares Marques12 de junho de 2015 19:32

    Que bom, fico ciente que eu e tantos outros(as) mesmo não sendo perfeitos têm idealismo compatíveis. Suas poucas palavras me dão ânimo a não desistir.Certos dias sinto-me tão solitária nas minhas reivindicações e manifestações de cobrança em relação a EDUCAÇÃO, mas logo chegam suas palavras,essas que adentram no meu íntimo como bálsamo, pois é realmente o que necessitamos para enfrentar TANTOS DESMANDOS. Porque tamanha é a covardia que vem acontecendo nos últimos 11 anos. O que me deixa revoltada é ter acreditado que poderia ter acontecido uma mudança há 7 anos atrás; mas houve chance de mudarmos novamente, entretanto a população na sua maioria continuou sendo enganada(não foi o meu caso),pois uma vez enganada considero tolice, segunda vez, "aí" já é asneira (de asno mesmo). Agradeço por você existir, quem dera CAMPOS DOS GOYTACAZES houvesse mais pessoas como você...Precisamos acreditar e unirmo-nos porque DESISTIR JAMAIS, nós amamos nosso município!! Amo meus educandos e a profissão que escolhi, procuro através dela contagiá-los pelo carinho e comprometimento como cidadã e constantemente luto para que a comunidade que atuo possa ter todos os DIREITOS EDUCACIONAIS com/de qualidade.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo texto mesmo com a crase não deu diferença no sentido o importante foi o recado exatamente em poucas palavras definiu exatamente o que é conviver com esse grupo rosáceo digo com ele também passei piores dias da minha vida batendo palma para esse maluco mentir no palanque como fui idiota só quem vivenciou sabe um abraço estamos juntos.Ao professor de português de plantão desculpe algum erro sabe ninguém é perfeito



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ausência da vírgula (para separar as orações coordenadas assindéticas) tornou seu texto incompreensível.

      Excluir
    2. Sem querer contestar o(a) professor(a)a de gramática, errei mesmo na
      crase, trago, apenas, o modernista Oswald de Andrade, com seu poema Vício na Fala:

      Para dizerem milho dizem mio

      Para melhor dizem mió

      Para pior pió

      Para telha dizem teia

      Para telhado dizem teiado

      E vão fazendo telhados. (Oswaldo de Andrade)

      Excluir
  6. Parabéns Fernando pela coragem de romper com este grupo do governo !
    Liga "preles não"!!!
    E ao professor de português que continue dando a sua colaboração .

    ResponderExcluir
  7. Meu caro e candidato a Prefeito Fernando Leite, independente da crase sociolinguistica, VOCE NAO ESTA ME DIZENDO QUE NAO VAS SER NOSSO CANDIDATO A PREFEITO 2016? NAO FAÇA ISTO, PELO AMOR DE DEUS. A UNICA ESPERANÇA NESTA MERDA DE CIDADE É VOCE.

    Voce tem as condições para ser um prefeito apenas é necessário que o voce entenda as raízes dos problemas sociais e urbanos, ter noções da história do país e do estado. Outras características interessantes suas são: honestidade vontade de ajudar a resolver os problemas sociais pró-atividade responsabilidade capacidade de observação capacidade de falar em público capacidade de distinguir prioridades capacidade de organização dinamismo metodologia concentração disciplina espírito de liderança comprometimento, ORA POR FAVOR VAMOS EM FRENTE. NAO DESISTA. CAMPOS DOS GOYTACAZES TE MERECE...

    XO ROSINHA GAROTINHA
    XO GAROTINHO
    XO PUDIM GAROTINHO
    XO PAULO FEIJO GAROTINHO
    XO CLARISSA GAROTINHO, KBRUNCO DE MULHER BONITA E G ... SO.
    XO WLADORMIR GAROTINHO - JA BASTA COMER NA ALERJ 18.000,00 POR MES
    XO SULEDIL TRANCA RODA GAROTINHO
    XO MAL RO SIRVA PUXA SACO GAROTINHO
    XO WALTER TURISTA JOELBER GAROTINHO
    XO GARRUTILHOS LAMPARÕES
    XO EMPRESTIMO DE 1.000.000.000,00 GARRUTILHO ROSINHA

    ResponderExcluir
  8. Cuidado Fernando se for prefeito não poderá fazer nada pois essa família que está no poder irá endividar a nossa cidade e depois iremos ver a oposição chefiada por esse quadrilheiro dizer aos quatro cantos que vc é ladrão e incompetente ,enganar é com ele mesmo

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião