quarta-feira, abril 23, 2014

ALÔ PROCON E AÍ?

Não estou entendendo mais nada!
Hoje gastei 450 reais nas Casas Bahia do Shopping Boulevard e quando cheguei ao guichê do caixa para solicitar a validação do cupom, fui surpreendido com a seguinte frase do funcionário: "A lei do estacionamento existe, mas ela não vale aqui no shopping".
Não ia arrumar confusão na hora de ir embora, com duas crianças e cansado de tanto andar, mas fica ai a pergunta para os mais entendidos no assunto: O shopping é um estado independente e que não precisa obedecer as leis? Na realidade essa lei existe mesmo e devemos exigir, ou tem alguma brecha nela na qual as empresas se baseiam para não cumprir?
Fica a pergunta e a indignação!


Fonte: facebook (Helder Pereira Chagas)

ATENÇÃO SERVIDORES MUNICIPAIS DE CAMPOS

(Do facebook)


ESTIVE HOJE NA CENTRAL DO UH SAÚDE E CHEGANDO LÁ ....UMA LISTAGEM COM DOCUMENTOS QUE DEVERIAM SER LEVADOS...O QUE VAI DE CONTRA A ENTREVISTA DADA PELO PRESIDENTE DA UH AO JORNAL URURAU...É UM JOGO DE MANDA PRA LÁ MANDA PRA CÁ ENTRE ASES E UH ,QUE MAIS UMA VEZ NÃO ESTÁ DE ACORDO COM O QUE FOI FALADO NA ENTREVISTA! POR EXEMPLO:
*******MIGRAÇÃO AUTOMÁTICA...TEMOS QUE IR ASSINAR ALGUNS PAPÉIS!
*******SÓ COMPARECER NA CENTRAL DO UH SE FOR DESCREDENCIAR ALGUM DEPENDENTE ( O QUE FOI INCLUSIVE DESACREDITADO POR UMA FUNCIONÁRIA QUE DISSE NÃO PODER ACREDITAR NAQUILO QUE ESTAVA ESCRITO ..QUE NÃO SABIA QUEM O TINHA FEITO..NESTE CASO O JORNAL URURAU QUE EU LEVEI UMA CÓPIA).
******* E O MAIS GRAVE É QUE ELES DO UH NÃO AVISAM A NINGUÉM QUANDO SÃO PERGUNTADOS PELA MIGRAÇÃO É QUE TEMOS QUE PAGAR 114 REAIS E ALGUNS CENTAVOS, REFERENTE AO 1º MÊS DO PLANO DOS DEPENDENTES (MESMO QUANDO JÁ ESTÃO INCLUSOS NO DESCONTO DA NOSSA FOLHA DE PAGAMENTO)EM DINHEIRO VIVO, NÃO ACEITAM CHEQUES E PELO VISTO NEM CARTÕES!!! CASO CONTRÁRIO ELES FICAM DESAMPARADOS ATÉ QUE SEJA FEITO O PRÓXIMO DESCONTO EM FOLHA,OU SEJA,QUEM HOJE ESTÁ AMPARADO PELO PLANO A PARTIR DO DIA 25/04/2014 PODERÁ NÃO ESTÁ...SE VIREM EM DINDIM PARA SEUS DEPENDENTES!!!!
******E SOBRE A CONTINUIDADE DE TRATAMENTOS E CIRURGIAS ANTES MARCADAS....SÓ APÓS AVALIAÇÃO DOS AUDITORES DO UH.
**********ENFIM....VIRARAM NOSSAS VIDAS E SAÚDE DE PONTA CABEÇA, E ATÉ TUDO ESTIVER NORMALIZADO...QUE TENHAMOS UMA ÓTIMA SAÚDE E REZAR PARA QUE NÃO SEJA PRECISO USAR O PLANO ,PELO MENOS POR ENQUANTO!!!!!!!!ACIMA ESTÁ A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA DO PRESIDENTE DO UH AO JORNAL URURAU.
******* E QUANTO AO ATENDIMENTO FALARAM NOME DE VÁRIAS CLÍNICAS,HOSPITAIS E A EMERGÊNCIA (NÃO SEI SE PARA TODOS OS CASOS) É PRONTOCÁRDIO.

terça-feira, abril 22, 2014

AS DUAS FACES DO CASAL ACUSADO DE MATAR O MENINO BERNARDO

(Do sítio do ZeroHora)

(Arquivo pessoal)
carlos.wagner@zerohora.com.br, mauricio.tonetto@zerohora.com.br

Para alguns, eles eram simpáticos, tranquilos e pacíficos. Para outros, na intimidade do lar, demonstravam agressividade e incômodo com a presença de Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, encontrado morto em Frederico Westphalen na noite da última terça-feira. A aparente vida dupla que levava Leandro Boldrini, 38 anos, e Graciele Ugulini, 32 anos, será investigada pela Polícia Civil. O casal foi preso na noite de segunda-feira em Três Passos, onde morava com o garoto, por suspeitas de participação no assassinato.
– Jamais poderia passar pela cabeça da gente uma história dessas. Ela convivia conosco tranquilamente, era sorridente, de bem com a vida, tranquila, pacífica. Nunca teve algum incidente na escola. Que coisa absurda. Tenho filhas da mesma idade e elas brincavam juntas. É chocante, inacreditável, com letras maiúsculas. Não dá para entender o que passa pela cabeça para acontecer isso – diz a professora aposentada Elci Haas, 60 anos, de Santo Augusto, que acompanhou o crescimento de Graciele.
Mas para vizinhos e outras pessoas próximas ao casal, que pediram para não se identificar, a realidade era outra. Em casa, eles viviam discutindo e o motivo do desentendimento era a presença de Bernardo, fruto do casamento anterior de Leandro. Em 2010, a então mulher dele cometeu suicídio.
Logo depois disso, Graciele "adotou" Bernardo e passeava com o menino por Três Passos. Quando assumiu oficialmente o relacionamento com Leandro, ela teria mudado de postura. Na Primeira Comunhão da criança, por exemplo, nenhum dos dois estavam presentes.
Atual companheira de Leandro Boldrini, Graciele estudou Enfermagem na Unijuí, trabalhou em Porto Alegre e em uma área indígena no município de Redentora, noroeste do Estado. Tornou-se sócia dele na Clínica Cirúrgica Boldrini, em Três Passos, e companheira dele. Ambos têm um filho de 1 ano e três meses.
Casal tem um filho de 1 ano e três meses / Crédito: Arquivo Pessoal
– Ela é uma mulher calma, meu Deus do céu. O Leandro também é calmíssimo, trabalha demais e não tempo para nada, nem nos finais de semana. A vida deles era dentro do hospital. Pelas atitudes dela, acho que não está envolvida. Eu não acredito, mas também não sei o que uma pessoa tem no pensamento. Esse menino (Bernardo) era um netinho para mim, vinha sempre na minha casa, me dava demais com ele – lamenta Plinio Ugulini, pai de Graciele.
Além do casal, uma terceira pessoa, amiga deles, foi presa. Em entrevista coletiva concedida à imprensa na manhã desta terça-feira, a delegada Caroline Virgínia Bambergdisse não ter dúvidas do envolvimento dos três na morte. Segundo a jornalista Taline Schneider, natural de Três Passos e conhecida de Leandro, o comportamento do casal passou a ser motivo de suspeitas na cidade desde a morte da ex-mulher (mãe de Bernardo), por suicídio, dentro do consultório em que ele trabalhava:
– Nunca se falou nada de errado deles, até este episódio estranho. Na época foi um diz que diz e a comunidade ficou meio revoltada porque ele assumiu a nova mulher logo depois, como se nada tivesse acontecido. Recentemente, os comentários eram que o Bernardo sofria maus-tratos em casa.

O casal e a amiga Edelvania Wirganovicz, 40 anos, ainda não definiram um advogado de defesa, segundo a irmã de Graciele, Simone Ugolini.
O caso que abalou Três Passos
Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no último dia 4, uma sexta-feira, em Três Passos. De acordo com o pai, ele teria ido à tarde a Frederico Westphalen com a madrasta para comprar uma TV.
De volta a Três Passos, o menino teria dito que passaria o final de semana na casa de um amigo. Como no domingo ele não retornou, o pai acionou a polícia. Cartazes com fotos de Bernardo foram espalhados pela cidade, por Santa Maria e Passo Fundo.
Na noite de segunda-feira, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen dentro de um saco plástico e enterrado nas margens do Rio Mico, na localidade de Linha São Francisco, interior do município.
Leandro Boldrini é médico e atua como cirurgião-geral no hospital do município. Ele também é proprietário da Clínica Cirúrgica Boldrini. Bernardo morava com o pai, a madrasta e uma meia-irmã, de um ano. Ele estudava no turno da manhã no Colégio Ipiranga, instituição particular.
Fonte: ZeroHora

CAMPOS: AS RUAS MANDAM RECADO DE FOGO

Há uma sensação de descontrole gerencial, na cidade. Um clima de medo. A chamada anomia. O que parece é que o governo municipal "perdeu a mão". Manifestações, cada vez mais agressivas, reproduzidas com o mesmo modus operandi utilizado por esta administração quando era oposição. É fundamental que a prefeitura, que se transformou num poder reativo, vá pra rua, pelo menos, para responder as graves demandas sociais. Esconder-se, agora, é covardia, é falta de compromisso público. Leia ste relato:

"Estou muito apavorada! Minha família voltando do feriado e se viu em cenário de filme de terror! 2 horas parados na estrada! Homens amados com facões, pedindo dinheiro, caminhões de som, tocando funk! Coisa assustadora! Todos os caminhos interditados! Ninguém podia voltar! Enfim, a violência chegou mesmo, na ex pacata cidade de Campos dos Goytacazes!"

(Da pagina de Diony Barreto, no facebook - Jardim Aeroporto ontem à noite)

segunda-feira, abril 21, 2014

BR 101 INTERDITADA DE NOVO NO JARDIM AEROPORTO

O jornal da InterTV acaba de informar que a comunidade do Jardim Aeroporto refez a barricada de fogo e interditou, de novo, a BR 101, na altura do aeroporto Bartolomeu Lyzandro. É tenso o clima no local.

FALSO PADRE DESMASCARADO NA DIOCESE DE CAMPOS

No último sábado (19), os fiéis da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Laje do Muriaé, no Noroeste Fluminense, foram surpreendidos com a notícia de que o padre que visitava a cidade há uma semana era um falso sacerdote e que já havia aplicado golpes em dioceses no estado de São Paulo.
Foi através de uma das redes sociais mais acessadas no Brasil que o falso padre foi desmascarado. O atual pároco, Ramyro Armond, cuida pessoalmente da página que promove horário de missas, confissões e eventos, a fim de atrair os católicos e prestar serviço à comunidade.
Durante os ritos da Páscoa, algumas fotos com a participação do falso padre, chamado de Ricardo, foram postadas na rede social. Paróquias de São Paulo que seguiam a página e que teriam sofrido com os golpes do falso padre reconheceram o farsante através das fotografias e alertaram a diocese de Campos dos Goytacazes, responsável pela Paróquia Nossa Senhora da Piedade.
“Padre Ricardo” também possuía uma conta na rede social e foi através dela que ele chegou até a página da Paróquia Nossa Senhora da Piedade. Na conta pessoal dele, que foi desativada, haviam fotos de celebração de missas e concelebração na companhia de Bispos e Arcebispos de São Paulo, de acordo com informações do padre Ramyro. Ricardo dizia ter nascido em Curitiba e que estaria de folga no período da Páscoa, podendo assim, viajar e conhecer Laje do Muriaé. A ajuda em uma das épocas em que a igreja mais trabalha foi aceita pelo pároco.
Matéria completa no sitio da InterTV.

DENÚNCIA A SER AVERIGUADA

Recebi, pelo in box, esta denúncia de fonte confiável. Contudo, é assunto para ser investigado pela Policia Rodoviária Federal. Se você tem mais informações, mande-as ao blog:

Repassem.. Se tiver algum policial que possa ser notificado e possa enviar a policia!!! Acabei de saber por um membro do grupo de oração! Pessoas fecharam a BR 101 na altura do Aeroporto de Campos, e (moderado), cobrando 10,00 de pedágio! Pessoas que estão tentando passar pelos canaviais também estão sendo abordadas por pessoas armadas! Avisem aos amigos para evitar passar lá! E a policia!

FELIZ PÁSCOA!

Olá, todos.

Não temos como imaginar vencer a morte, se não considerarmos o ato do Senhor Jesus por nós.

Feliz Páscoa, que o Senhor Jesus abençoe a cada um e suas famílias.

Abç.,

Renato César Arêas Siqueira
arquiteto e urbanista
perito técnico

professor bolsista UENF


sexta-feira, abril 18, 2014

O MARTÍRIO DE CRISTO

(Colaboração da poeta Heloisa Crespo)

   SEXTA-FEIRA SANTA 





Toda sexta-feira santa
de tantas outras iguais,
revive-se um sofrimento
de muitos anos atrás:
o Cristo crucificado
sofrendo por nós mortais.

Tão logo ao amanhecer
nos jornais saem em seqüência
as notícias do suplício,
denunciando a existência
da cruz do cotidiano,
da verdadeira vivência
de sofrimento do povo,
humilhado, com urgência
de paz, de uma vida digna,
com emprego, sem violência,
não buscando mais no lixo
a sua sobrevivência.

Heloisa Crespo

ANTES DA PÁSCOA, O MARTÍRIO DE CRISTO

Cresci numa família matriarcal. Meu pai morreu muito cedo e minha mãe dedicou sua vida à minha formação e dos meus irmãos e à sua fé, herança dos seus pais católicos, apostólicos, romanos, tradicionalistas.
Minha mãe não transigia com seus compromissos com a Igreja. Era do séquito das filhas de Maria. Frequentava o templo, regularmente, e cabia a mim, caçula da prole, lhe fazer companhia. Naquela época, não era de bom tom que uma mulher viúva andasse sozinha. Repousariam sobre ela os olhos de censura da tradicional família fidelense.
Muitas vezes, acompanhei a procissão do Senhor Morto, um espetáculo mórbido e grandioso, Jesus com o coração sangrando, Mártir da nossa salvação. Entediado, dormia na missa, nas novenas. A voz monocórdia e o sotaque catalão do Monsenhor iam diminuindo de intensidade e eu era tomado pelo sono profano.
Lembro com clareza que a Semana Santa tinha, na minha casa, o peso da morte de alguém muito próximo. Nós carpíamos a dor do Cristo preso e crucificado.
Era uma Semana diferente. Não gritávamos uns com os outros e eramos 7 irmãos, os palavrões eram banidos do vocabulário, o rádio ficava mudo, desligado e cumpríamos a abstinência absoluta de carne.
Minha mãe, Djanira, era ainda mais radical na sua fé. Seus compromissos religiosos começavam no primeiro dia da Quaresma.
O clima de sofrimento e de pesar pelo Suplício do filho de Deus só era vencido na missa da manhã do Domingo de Páscoa, quando a igreja era inundada de luz, que vazava os vitrais coloridos e anunciava a boa nova da Ressurreição.