domingo, setembro 24, 2017

DATENA PRETENDE DISPUTAR AS ELEIÇÕES DO ANO QUE VEM

IstoÉ


Gabriela Dobner




Aos 60 anos, o apresentador e radialista José Luiz Datena retoma o projeto de entrar para a política. Após uma curta passagem pelo PP (Partido Progressista), de Paulo Maluf, em 2015, quando tinha a intenção de ser candidato à Prefeitura de São Paulo, assinou sua filiação ao PRP (Partido Republicano Progressista) no último fim de semana. Recebeu convite para concorrer ao Senado nas eleições de 2018. Ainda não bateu o martelo, mas diz estar preparado para uma devassa na sua vida. “Se alguém falar que sou ladrão, pode analisar minha conta bancária. Tenho menos grana que o Lula.” No comando dos programas diários “Brasil Urgente”, na Band, e “90 Minutos”, na rádio do grupo, Datena é um dos mais influentes apresentadores do País. Sem papas na língua, chato, agressivo e pavio curto, prefere se abrigar em um camarim sem janelas para “preservar as pessoas”. “É impossível fazer um programa como o Brasil Urgente e ser um cara legal.” Corintiano, é casado há 30 anos com Matilde. Tem cinco filhos e seis netos.



A delação premiada pode efetivamente ajudar a combater o crime no Brasil?

Esta é uma lei absurdamente nova no País. Tem 4 anos, precisa ser estudada. Porque concede imunidade a bandidos da pior espécie.


A polêmica sobre a delação da JBS pode tirar credibilidade da Lava Jato?

A Lava Jato é o que está mais próximo de uma defesa do regime democrático brasileiro. Joesley surgiu no governo Lula e de repente ficou bilionário com o dinheiro do BNDES. Ele é um bandido que em qualquer lugar do mundo estaria preso há muito tempo por vender comida estragada. O que salvou a Lava Jato foi o interrogatório do Palocci (ao juiz Sergio Moro) logo depois. Ele não prestou delação premiada, mas contribuiu com a Justiça para aliviar o lado dele. Percebeu que o Lula, a Dilma e o PT inteiro iam abandoná-lo. Palocci passa a ser o cara que o Lula chamou de dissimulado, mas antigamente dizia que era o seu sucessor como presidente e o pensador político do PT. A contribuição que o Palocci deu não foi só à Justiça. Foi, na verdade, a de salvaguardar a posição da Lava Jato. Com o depoimento dele não se pode desmoralizar a operação, porque foi um ex-ministro, um cara que era cotado para ser presidente, que contou detalhes deixando os reis nus. Tanto o Lula quanto a Dilma. Não me venham dizer que o que ele falou é bravata.


Como o senhor avalia a troca de comando na Procuradoria-Geral da República?

Achei o Janot apressado demais em dar a Joesley essa série de benefícios homologada pelo ministro Edson Fachin (STF). Não é uma delação premiada. É uma Mega-Sena delação premiada. Mas graças à competência da Polícia Federal, que recuperou a gravação, ficou bem claro quem era esse Joesley e que esse cara merecia no mínimo passar pela cadeia.


O senhor pretende se candidatar ao Senado em 2018?

Eu tenho convite. Me atrai ser candidato? Me atrai. Pensei em ser candidato a prefeito de São Paulo. Os números estavam maravilhosos. Tanto pelo Ibope quanto pelo Instituto Paraná. Eu era o segundo colocado e tinha grandes chances de ser eleito. Mas aí vem a segunda parte da história que incomoda muito, o financiamento da campanha. Comecei a perguntar à época e ninguém me respondeu. Não vou botar do meu bolso porque não tenho dinheiro como o João Doria, que bancou a campanha dele. Pensei outra coisa mais importante. A vaidade te impele a fazer isso. E eu não sei qual a proporção. Talvez a mosca azul de Machado de Assis seja mais importante do que qualquer outra coisa.

A contribuição que o Palocci deu não foi à Justiça. Foi, na verdade, de salvaguardar a posição da Lava Jato. Não me venham dizer que o que ele falou é bravata
Pela vaidade…
Não sei responder com sinceridade. Acho que mais para ajudar o povo. Mas a vaidade pesa muito nisso também.


O senhor tem conversado com alguém sobre isso?

Liguei para o Doria. Ele falou assim: “Você está rico, milionário?” Falei que não. Tive uma multa milionária ao sair da Record. Paguei US$ 10 milhões. Estava errado e paguei. Então hoje não tenho grana. Tenho muito menos grana que o Lula. Aliás, mesmo quando eu ganhava muito dinheiro nunca consegui chegar perto do que o Lula tem guardado.


Há esperança na política?

Ainda tem gente boa. Mesmo. Mas a maioria não é. É uma raça que vai se autodestruir porque é de índole ruim.


O senhor viveria com salário de senador?

Tenho condição de viver com o salário de senador. Mas só eu e minha mulher, porque eu ajudo a família inteira. Mas todo mundo que gosta de mim diz para eu não entra nessa. Até o Lula uma vez me aconselhou a não ser candidato. Falou que os caras iam investigar até o último ponto da minha vida.

Tem algo a esconder?

Se alguém falar que sou ladrão, vou mandar analisar minha conta. O cara que analisar minha conta, perto do dinheiro que eu já ganhei, vai dizer: “Esse cara é um dos maiores otários que eu já vi na minha vida”. Faço mau negócio, assino contrato errado. Não é que não cumpra contrato. É que quando o cara me enche o saco eu vou embora.


O senhor é pavio curto fora da TV também?

Com minha mulher eu não sou tanto. Ela fala manso. Com as outras pessoas, sou em tudo. Não tenho muita paciência. Quando falo que quero ficar em um camarim sem janela não é para me preservar. É para preservar as pessoas porque às vezes eu sou injusto.


Então se considera um típico chato?

Sou pior do que chato. Sou meio agressivo. É impossível você fazer um programa como o “Brasil Urgente” e ser um cara legal. Não dá.


Por que, então, continuar a fazer o Brasil Urgente?

Porque eu tenho contrato. Meus filhos tiveram uma infância muito pobre. Foram privados de muitas coisas. O Joel é um baita apresentador de televisão, mas acredito que outras televisões não o contrataram porque ele é meu filho. Ele vive em uma casa modesta. Meu outro filho tenta construir casas, mas está em uma situação difícil porque o País está em uma situação difícil. O outro filho tem uma empresa de barcos que fechou. Minha filha tem talento, mas é filha do Datena. Ela fica nua na capa da Playboy e como é minha filha os caras querem arrebentar com a menina. Outro filho mora em Munique, na Alemanha, tentando ganhar a vida com uma empresa de informática. Se eu não ajudar os caras, eles vão ter dificuldade.


Queria fazer outro tipo de programa?

Se o cara me oferecesse um programa aos domingos eu acharia ótimo. Me sinto em condições de fazer um programa de variedades. Mas o que tem para hoje é isso aqui. Eu tenho de fazer isso aqui. Mas realmente não me apraz fazer programa de polícia por 3h20.


O senhor tem problemas com o álcool?

Outro dia me encheram o saco sobre alcoolismo. Mas não é isso. Todos os caras que bebiam muito e bebem muito são alcoólatras. Mesmo aquele que para de beber. Eu bebia muito. Bebia desde moleque. Junto com o Sócrates. Ele foi meu amigo de infância. Eu bebia mais do que ele. Depois que fiz uma cirurgia no pâncreas, diminuí muito o ritmo de bebida.


Chegou a trabalhar alcoolizado?

Nunca bebi antes de trabalhar. Nunca trabalhei sob efeito de bebida. Como eu não trabalhava todo dia, tomava cerveja pra caramba. Mas, quando comecei a fazer o “Cidade Alerta” (Record), passei a beber só final de semana. Aí veio a doença (um tumor benigno no pâncreas) e fiquei um ano sem beber. Atualmente bebo o mínimo possível. O mínimo que eu posso aguentar. Porque sei que, se eu tomar um copo de vinho, posso tomar bastante vinho. Posso dizer que hoje bebo quase que absolutamente nada. Todo alcoólatra se beber vai chutar o balde e fazer um monte de besteira. Todas as cagadas que eu fiz foram sob efeito de álcool. É uma droga socialmente aceita.

Eu bebia muito. Bebia desde moleque, junto com o Sócrates. Eu bebia mais do que ele
O senhor fez sua carreira no esporte. Acompanha futebol até hoje?

Não. Eu odeio. Eu só vejo futebol internacional. O esporte me deu possibilidades que eu jamais teria. Porque meu pai era porteiro e vendia bilhete de loteria. Minha mãe costurava bolas. Sempre fui um cara, não digo abaixo da linha da pobreza, mas carne em casa era salsicha de domingo ou um franguinho. Jamais teria conseguido alguma coisa na minha vida se eu realmente não tivesse tido o esporte como ‘start’.


Por que o senhor não assiste mais a futebol nacional?

Porque fiquei 30 anos na beira do gramado. Gosto do futebol internacional pelo espetáculo dos estádios. No Brasil, dos doze grandes estádios, dez estão sob investigação. Me irrita ver jogos nestes locais.


Confiante no título do Corinthians no Brasileirão?

Sim, o Corinthians será campeão.


O que o senhor faz para relaxar?

Não faço nada interessante. Leio muito. Até bula de remédio. Atualmente estou relendo clássicos que li há muitos anos, como Dom Quixote. Notícias só porque sou obrigado. Gosto também de ouvir música clássica.


Gosta de sair de casa?

Sou caseiro. Comprei uma casa em um condomínio em São Paulo com pessoas importantes. Elas ficaram preocupadas achando que eu fosse incomodá-las. Chamei uma delas e disse: “Queria te avisar que vou morar no condomínio. Mas é o seguinte. Não gosto de ir à casa de ninguém. Mas também não gosto que venham à minha casa”. Eu não gosto mesmo de visitas. À exceção dos meus filhos e netos.




OCUPADA PELO EXÉRCITO, A ROCINHA APARENTA TRANQUILIDADE

G1



A Rocinha, na Sul do Rio, teve uma madrugada de aparente tranquilidade neste domingo (24), quando se completam três dias da atuação do Exército na comunidade. De acordo com as polícias Civil e Militar, não foram registradas trocas de tiros desde a noite de sábado, dia que terminou com 9 presos, 18 fuzis apreendidos, três mortos e um adolescente vítima de bala perdida.

O clima na comunidade, no entanto, segue de tenso. A polícia crê que o traficante Rogério Avelino da Silva, conhecido como Rogério 157, conseguiu voltar para o morro, onde está escondido. Ele é apontado como pivô da guerra entre criminosos iniciada há uma semana.

Leia matéria completa no G1

sexta-feira, setembro 22, 2017

MPE ENTRA COM NOTÍCIA-CRIME CONTRA GAROTINHO

O Ministério Público Eleitoral de Campos protocolou notícia-crime contra o ex-governador, Anthony Garotinho e pedido de providências ao juiz Eron Simas, da 99ª zona eleitoral, conforme extrato abaixo:


950 HOMENS DO EXÉRCITO ENTRAM NA ROCINHA

Mais de 950 homens do Exército entraram na comunidade da Rocinha, no Rio de janeiro, numa tentativa de pacificar a região conflagrada os últimos dias.

Veja em tempo real no G1

HC DE GAROTINHO NO TSE PODE FICAR PARA SEMANA QUE VEM

Blog Na Curva do Rio



Decisão sobre HC de Garotinho no TSE deve ficar para a próxima semana
 22/09/2017 15:26 - ATUALIZADO EM 22/09/2017 17:01
A decisão sobre o Habeas corpus que pede a libertação do ex-governador Garotinho, em prisão domiciliar desde quarta-feira (13), deve ficar mesmo para a próxima semana.
A previsão até ontem era que a decisão saísse ontem, quinta-feira, mas acabou adiada depois da informação da Seap ao juízo da 100 Zona Eleitoral sobre possível violação do monitoramento eletrônico de Garotinho. Mais tarde, a própria Seap, através da assessoria de imprensa, informou que tratava-se de falha do sistema do GPS.
O Blog de Esdras também falou sobre o assunto.

SEMÁFORO AMEAÇADO DE QUEDA PELO VENTO

(Pelo in box)


Amigo, Fernando Leite, tirei foto dos (4) Lados de apoio do sinal ,que fica aqui na Av 28 Março com Barão de Miracema, antiga São Bento, em frente a um Deposito de Material de Construção e uma Dedetizadora, do outro lado 2 Postos de Gasolina, e na Cidade esta ventando forte e balançando..... E assim estão vários.....


O ex-médico Farah Jorge Jarah, o esquartejador, foi encontrado morto em sua casa, em São Paulo

G1



O ex-cirurgião plástico Farah Jorge Farah (de óculos, no centro), em 2014
(Foto: André Lucas Almeida/Futura Press/Estadão Conteúdo)


O ex-médico Farah Jorge Farah foi encontrado morto em sua casa, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira (22), informou a polícia. Condenado a 14 anos e oito meses de cadeia por matar e esquartejar uma paciente em 2003, ele deveria ser levado de volta à prisão após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinar, na quinta, a imediata execução provisória de sua pena.

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, um chaveiro foi chamado para abrir a porta da casa do ex-médico quando a ordem de prisão chegou. Quando os policiais entraram, encontraram Farah deitado na cama, com um corte profundo na perna. Uma equipe médica tentou socorrê-lo, mas ele já havia morrido.

O delegado acredita que Farah usou um bisturi para se matar. Segundo o policial, ele criou um "ritual" para morrer. “Ele colocou uma música sinistra, uma música de terror, coisa estranha, fúnebre. Ele se vestiu com roupas de mulheres, colocou seio, colocou essas coisas, e atentou contra a própria vida”, conta.

Na madrugada desta sexta, Farah foi visto entrando em sua casa com uma sacola com pães em uma das mãos e uma bengala na outra.

Ex-médico Farah Jorge Farah é condenado por homicídio e vai voltar para cadeia
Farah foi condenado em 2014 a uma pena de reclusão em regime fechado pelo assassinato e esquartejamento de Maria do Carmo Alves, que além de paciente era sua amante . Apesar disso, uma decisão de 2007 do Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu que ele respondesse em liberdade.

Em agosto, o relator do caso, ministro Nefi Cordeiro, já havia atendido a um pedido do Ministério Público (MP) de São Paulo e votado pela imediata prisão do ex-médico Farah Jorge Farah. No entanto, houve um pedido de vista do ministro Sebastião Reis Júnior que levou a conclusão do julgamento para esta quinta-feira. Sebastião decidiu acompanhar o voto de Nefi Cordeiro. O STJ também negou recurso da defesa de Jorge Farah que pedia anulação do último júri.

Delegado fala sobre a morte do ex-médico Farah Jorge Farah

O crime

Farah cometeu o crime 23 de janeiro de 2003 na clínica dele, em Santana, na Zona Norte da capital paulista. A vítima tinha 46 anos quando foi atraída para o local e morta pelo então médico, que queria pôr fim à relação conturbada que tinha com a vítima. O condenado tem 67 anos atualmente.
De acordo com a denúncia da Promotoria, Farah matou Maria após ela ir a seu consultório com a falsa promessa de que a submeteria a uma lipoaspiração. Em seguida, ele dispensou sua secretária e sedou a vítima.

Segundo o MP, após constatar a morte dela, Farah passou a esquartejar o corpo para dificultar a identificação. O cortou em pedaços e os escondeu em sacos plástico no porta-malas de seu carro. Os órgãos e o pescoço da vítima nunca foram encontrados pela Polícia Civil.

Dois dias depois, ele se internou numa clínica psiquiátrica e confessou o crime à família e à polícia. Posteriormente indicou o local onde havia deixado o corpo de Maria.

A defesa de Farah alegava que seu cliente havia matado a paciente e amante para se defender dela. Maria teria tentado atacar o então médico, que se defendeu com uma faca. Segundo os advogados Maria perseguiu o então médico por mais de quatro anos, o que teria levado o réu a um "estado alterado", a ponto de matar para se proteger.

Em razão do crime, Farah foi proibido de trabalhar como médico anos antes dos dois julgamentos. Em 2006 o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) determinou que ele não poderia mais fazer cirurgias.

Farah passou por dois julgamentos por conta do assassinato de Maria. O primeiro ocorreu em 2008, quando ele foi condenado à pena de 12 anos de reclusão. Mas esse júri foi anulado em novembro de 2013.

A Justiça atendeu recurso da defesa e marcou novo júri, que ocorreu em 15 de maio de 2014. Naquela ocasião, o ex-médico havia sido condenado a 16 anos de prisão em regime inicial fechado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. No ano passado, a Justiça diminuiu a pena do ex-médico para 14 anos e oito meses por ele ter confessado o crime.

ABERTA SEMANA MUNDIAL DA RETINA, NO TEATRO DE BOLSO

(ascom)




O vereador Jorginho Virgilio (PRP) participou da abertura da Semana Mundial da Retina, no Teatro de Bolso. Números sobre um levantamento de alunos com problemas de visão na rede pública foram apresentados no evento.
Mais informações e fotos em anexo.
Qualquer dúvida pode ligar para o 998588131


LANÇAMENTO DO LIVRO O SEGREDO DO CAPITÃO GARRAFA


CEDAP REALIZOU JORNADA DE ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

O Diario



Centro de Doença atende 3,8 mil pacientes com alzheimer e 700 com parkinson

Profissionais da área de saúde e familiares de diagnosticados participaram da IX Conferência do Dia Mundial de Doença de Alzheimer
Em comemoração ao Dia Mundial do Alzheimer, o Centro de Doença de Alzheimer e Parkinson (CDAP), realizou nesta quinta-feira (21), no auditório da sede da Prefeitura de Campos, a VII Jornada de Envelhecimento Saudável / IX Conferência do Dia Mundial de Doença de Alzheimer. Segundo a coordenadora do CDAP, a geriatra Deborah Casarsa, o evento foi um grande sucesso e reuniu um público variado e atento a palestras ministradas por grandes profissionais da área da saúde que atuam no município.
“Estamos muito felizes com a presença de um grande público que lotou o espaço e se interessou pelo assunto. O evento foi bastante relevante porque é um meio de conscientizar a população sobre a importância de um diagnóstico precoce de uma síndrome demencial que limita o paciente e que muitas vezes pode tirar a harmonia do lar”, ressaltou.
O público-alvo do evento foram profissionais e universitários da saúde e a população em geral, principalmente familiares de pacientes diagnosticados com alzheimer. Ainda segundo Deborah, o Centro de Doença de Alzheimer e Parkinson atende, atualmente, cerca de 3,8 mil pacientes com alzheimer e 700 pacientes com parkinson ou outros distúrbios de movimento.
“Trabalhamos com uma equipe multidisciplinar que atende a população de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, mediante encaminhamento médico”, completou.
Ascom – PMCG  Fotos: Rogério Azevedo