segunda-feira, janeiro 28, 2013

AMIGOS


Tenho pensado nos amigos que perdi.
Amigos da infância, da adolescência.
Amigos da juventude, do colégio, amigos de quando
Servi ao Exército Brasileiro.
Amigos do teatro, da Poesia, da Politica.
Amigos da resistência. Amigos do plano infalível de mudar o Mundo.
Perdi muitos amigos e aprendi que amizade não se repõe.
Não se faz amigo em linha de montagem.
Cada amizade é única, singular, tem sua história própria.
Às vezes nasce de um olhar, um sorriso, um gesto.
Há amizades generosíssimas, largas e fundas como um rio
Que nascem de um desacerto.
Uma amizade de agora não substitui outra que se partiu.
Tenho amigos com os quais nem preciso falar. Sei que estão lá
Ao alcance de minha voz e de minha mão.
Tenho amizades que são fragilíssimas –
Orquídeas no deserto, avencas na ventania.
Dei pra pensar nos amigos que perdi pra morte
E o fato de eu estar aqui é a garantia subversiva que enquanto der
Eles viverão em mim.

FernandoLeiteFernandes
janeiro de 2012

2 comentários:

  1. geraldo lopes raphael28 de janeiro de 2013 19:32

    Lindo, lindo! Cara, voce escreve muito bem. Cada um que ler essas palavras, com certeza sentirá também as suas próprias perdas. Quem nunca perdeu um amigo. Eu também perdi alguns, o mais recente foi o meu querido amigo e "guru jurídico" Carlos Alberto Gomes Lima, o nosso querido Redondo. A ficha ainda não caiu.

    ResponderExcluir
  2. Parece até que estás escrevendo para mim. É um sentimento lindo, a amizade. Quando é verdadeira e sincera deixa isso tudo para nós. Obrigado por me dar a oportunidade de ler estas palavras nesta manhã chuvosa que me lembra tantos outros amigos. Parabéns.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião