quinta-feira, novembro 24, 2011

A CHEVRON, A CASA POPULAR E CAETANO VELOSO

O Tribunal de Contas da União vai investigar a ANP - agência nacional de petróleo - pelo vazamento no campo dos frades, explorado pela Chevron, na bacia de Campos. O acidente ocorreu no fundo do oceano, a mais de 1 mil metros de profundidade. Mas o TCU entende que a ANP como agência reguladora do setor petrolífero tem responsabilidade. E está absolutamente correto.

Aqui, na nossa vila formosa, casas populares, construidas com dinheiro público, são vendidas à luz do dia, com flagrante e até agora só a mulher que negociou o imóvel teve o seu nome revelado e, pelo visto, responderá sozinha pelo crime. A secretaria de Ação Social e da Família, que controla(?) o cadastro dos beneficiários e a prefeita do Município não responderão solidariamente. Nem pensar.

A mulher acusada, que deveria ser convocada pela Câmara Municipal, Poder fiscalizador do Executivo, para ser inquirida, foi, voluntariamente, ao Legislativo e os vereadores fugiram dela como o diabo foge da Cruz.

Lá fora, Caetano canta no rádio, "enquanto os homens exercem seus podres poderes..."

4 comentários:

  1. Essa mulher é uma verdadeira laranja nesse laranjal de casas populares!!!
    E o contrato dela foi quem deu?

    ResponderExcluir
  2. Carlos Calhorda, o repórter da madrugada.24 de novembro de 2011 23:43

    Eu, Carlos Calhorda, o repórter da madrugada, fui (disfarçado é claro) na sede da Empresa que negligentemente, imprudentemente,imperitamente e não respeitando regras técnicas para descobrir o Pré-sal, pois se antecipou em muito à corrida com as concorrentes, escutei por de trás da porta de um gringo,(alto diretor) a seguinte frase para alguns funcionários brasileiros que, defendiam nosso Pais :"CHEVRON SI FUDER !!!" mal educado né?

    ResponderExcluir
  3. Fernando,

    O flagrante desta pessoa é forjado. Não tem valor legal.

    Exemplo: você desconfia que tem uma empregada te roubando e deixa de bobeira algo de valor a vista e fica escondido esperando. Nem na hora, nem seguindo e a encontrando no ponto do ônibus tem valor legal algum.

    Certo é que o que ela estava fazendo não devia. Mas...perante a lei é como se não tivesse vendido nada.

    Porém, vejo algumas coincidências, quando a hoje Prefeita era Governadora, construiu umas casas populares no aeroporto. Foram 47 casas. Destas apenas 7 foram doadas. Todas as demais foram vendidas por M.M que depois veio a ser exonerado da Secretaria.

    Respondeu algum processo?

    Quando governadora, havia convênio com ONGs envolvendo a Secretaria de Saúde e aqui? Terceiriza.

    Saudações

    ResponderExcluir
  4. É o país das misérias morais,das premissividades obscenas, difíceis, mas não impossíveis de serem combatidas se forem encaradas como CRIMES sem desejo de apenas ¨JOGAR PARA A GALERA¨não é mesmo papinha?
    Mas como para mudar o mundo temos que começar pela nossa aldeia,os vereadores, TÊM SIM,que convoca-la para depor.
    Se os da situação,leia-se magal, papinha,kelinho e todos os diminutos mais não se movimentam, esperamos que a Odisséia e o Rogério Matoso(únicos, sendo a primeira bem mais,que vemos atuar)convoquem a Marinalva .

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião