segunda-feira, dezembro 27, 2010

FRENTE VAI FISCALIZAR ORÇAMENTO DE CAMPOS

Os dirigentes partidários que compõem a Frente Democrática de Oposição reuniram-se, hoje, pela manhã, na sede do Sindicato dos Eletricitários, quando definiram um calendário de compromissos para as diferentes comissões que foram criadas.

Entre as deliberações tomadas, ficou definido que o Orçamento para o exercício de 2011 de Campos, será alvo de criteriosa investigação e posterior acompanhamento de sua efetiva aplicação. Além disso, a Frente pretende, por seus meios, disponibilizar os números reais do Orçamento para democratizar o acesso da população à essa informação.

Na reunião de hoje, mais um partido cerrou fileiras, no movimento: o Psol.

7 comentários:

  1. Sr. Fernando, não acompanho muito política mas sou um campista apaixonado.
    Reparei que há alguns números difíceis de se entender no orçamento de Campos. Como explicar que uma fundação como a tal Zumbi dos Palmares (nada contra, mas seu leque de serviços é pequeno) pode ter mais recursos que uma secretaria de Petróleo? E mais ainda do que uma secretaria de Cultura e até mesmo do Procom?
    Eu só queria entender...

    ResponderExcluir
  2. geovana oliveira almeida27 de dezembro de 2010 15:57

    caros dirigentes partidarios,pedimos que fiscalizem os recursos da educaçao ,pois a coisa esta feia.caminhao bau por 80mil o aluguel...pedimos pois estamos ate hoje sem soluçao para as bolsas de estudos do ensino fundamental.frente partidaria nos ajude a cobrar da nossa governante que em campanha afirmava que nao iria cortar o beneficio e agora nao esta cumprindo sua palavra.e queremos saber sobre o convenio da escola do vereador magal?o centro educacional azeredo santana que assinou contrato de convenio no dia 05 de outubro de 2009 e nos pais de alunos passamos por uma triagem no inicio de 2009,sera que este alunos beneficiados tambem pasaram por triagem ja no final de 2009? sera que eles terao suas bolsas cortadas para 2011? fiscalizem por,favor.

    ResponderExcluir
  3. Fernando Leite,
    Acho interessante a idéia de manter uma agenda permanente de fiscalização e debate dos atos do Poder Executivo de Campos. Porém, entendo necessário que esta frente de oposição deveria se aproximar mais dos movimentos sociais e das associações de moradores, para que não fique uma agenda definida apenas pelos partidos políticos que estão se agrupando. Acho também que vocês deveriam convidar pessoas da sociedade que apesar de não ter uma filiação partidária, possuem conhecimentos específicos sobre determinados temas da administração municipal, e como isso ampliar mais o debate na cidade. Existem secretarias que estão apresentando um péssimo trabalho, mas como possuem uma "cortina de fumaça", criada pela falta de gente capacitada para discutir estes problemas, isso fica escondido e ninguém vê. Tem muito ex-secretário que não possui filiação partidária e que está dando sopa por aí, que poderia contribuir muito para a cidade, principalmente nesta agenda que vocês pretendem fazer.
    Dsejo a vocês boa sorte e muita coragem para derrotar esta praga que tomou conta da administração municipal.

    ResponderExcluir
  4. Fernando Leite, essa função não é dos Vereadores. Então por que pelo menos os que pertencem a essa frente, estão tão silentes?

    ResponderExcluir
  5. Sr. Fernando, os vereadores deveriam fiscalizar as políticas públicas em nosso município pois não são acatadas e pasmem o MP nada fazem,
    Em que cidde vivemos.
    Os idosos sem médicos e remédios eles só teem festas e publicidades, as pessoas que estão a frente das unidades especializadas não são capacitadas em geriatria e rerontologia, daí o idoso é que se ferra.

    ResponderExcluir
  6. Fernando,
    A Frente Democrática poderia definir três ou dois especialistas para cada secretaria da Prefeitura e iniciar um trabalho de fiscalização dos atos e orçamento, e também acompanhamento dos trabalhos desta secretaria. Mas devem ser todas as secretarias, sem exceção. Àquelas que vocês acreditam ser as menores e com pouca expressão é que dão as maiores mancadas. Por estarem fora dos holofotes, Garotinho teve interesse apenas de fazer política, agradar aliados, sem pensar nem um pouco na capacidade técnica de quem dirige. Nestas secretarias erros grosseiros estão acontecendo, a população sofrendo com a falta de gestão, e ninguém falando nada. Falta fiscalização!
    Avante Fernando Leite, viva a frente democrática!

    ResponderExcluir
  7. Luciana Soares Marques29 de dezembro de 2010 09:38

    PROFESSORA RELATA COM DETALHES OS PROBLEMAS DA E.M JOÃO GOULART
    A Escola Municipal João Goulart situa-se em Venda Nova, quarto distrito de Campos dos Goytacazes, à Avenida Pedro Pereira s/nº. Atende a Educação Infantil, 1º e o 2º Ciclo do 1º segmento do Ensino Fundamental e da Fase I a Fase IV da Educação de Jovens e Adultos, que funciona das dezoito às vinte e duas horas com duas turmas multisseriadas: a MF301 (Fase I e Fase II) e a MF302 (Fase II e Fase IV).
    Venda Nova é um distrito rural que acolhe pessoas oriundas de outros distritos, municípios e até estados, o que contribui para que ocorra uma variedade no quadro de alunos da escola, porém no que diz respeito aos alunos da Educação de Jovens e Adultos, a clientela desta modalidade de ensino possui características específicas e certa homogeneidade.
    A escola possui dez professores regentes, um professor para a Sala de Leitura, um professor para a Sala de Informática, um Auxiliar de Secretaria, quatro professores readaptados que atuam auxiliando na Secretaria, na Coordenação de Turno, como Responsável pela Merenda Escolar, uma Orientadora Pedagógica, uma Animadora Cultural, uma Diretora, uma Vice-diretora, uma Secretária, cinco Auxiliares de Serviços Gerais e um Vigia.
    Este estabelecimento encontra-se instalado num prédio cheio de problemas estruturais, entre os quais, instalações elétricas e hidráulicas comprometidas pelo péssimo estado de conservação. Possui quatro salas de aula, sendo que duas delas foram construídas por um antigo vereador que, penalizado com a situação da escola, construiu com recursos próprios, duas salas de aula, uma secretaria e uma cozinha. O prédio pré-moldado onde antes funcionava a escola, e que fica na parte da frente do espaço escolar, encontra-se interditado há alguns anos pela Defesa Civil por ser uma ameaça real ao bem estar e segurança de todos que por ali circulam e frequentam o local.
    Os alunos não possuem refeitório nem área de lazer. A escola não possui um profissional para lecionar Educação Física e a professora da Sala de Informática não possui ambiente para que possam ocorrer as aulas; só existem os equipamentos que ainda não foram instalados. Neste estabelecimento de ensino, a Educação de Jovens e Adultos teve início no ano de 2007 e, atualmente neste segundo semestre de 2010, são ofertadas as Fases I, II, III, e IV, tendo suas conclusões por semestre.
    No momento desta pesquisa em 2010, o funcionamento da EJA na Escola Municipal João Goulart encontra-se comprometido em relação à continuidade desta modalidade de ensino para 2011, pois não há incentivo por parte do poder público e nem da direção da escola. As professoras, a Auxiliar de Secretaria, a Orientadora Pedagógica e a Coordenadora de Turno do turno da noite que atuam diretamente com a Educação de Jovens e Adultos tentam sem muito sucesso, amenizar a situação incentivando alunos e comunidade através de ações como distribuição de kits (escolares, de higiene e de guloseimas).
    Faz-se necessário, pois, refletir sobre o perfil e o comportamento destes alunos desta modalidade de ensino na Escola Municipal João Goulart, a partir da análise dos dados apresentados, que podem auxiliar educadores que atuam na Educação de Jovens e Adultos, de um modo geral, como também auxiliarem a administração desta escola, em particular, para que junto à Orientação Pedagógica, possam planejar e traçar ações tanto administrativas quanto pedagógicas que visem um melhor atendimento e incentivo a este público exclusivo, objetivando a continuação deste segmento da Educação Básica nesta comunidade.


    LUCIANA SOARES MARQUES
    Professora da Rede Municipal da 1º ao 5º Ano do 1º Segmento do Ensino Fundamental da Escola Estadual Municipalizada Jacques Richer, Campos dos Goytacazes/RJ.

    Fernando,
    Com tanta verba por que nossa escola continua assim há mais de uma década?Publica como matéria por favor.
    Obrigada

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião