sábado, dezembro 26, 2015

CAIXA DEPOSITOU 200 MILHÕES NA CONTA DA PREFEITURA DE CAMPOS

O secretário municipal de governo, Garotinho, disse,agora há pouco, na radio Diario, que, no ultimo dia 24, a Caixa Econômica Federal depositou 200 milhões de reais na conta da prefeitura de Campos e que, nos dias 28, 29 e 30 vai pagar os compromissos possíveis.

Ele não explicou se é o novo valor integral da antecipação dos royalties ou se é uma parcela dos pretendidos pela administração municipal.

sexta-feira, dezembro 25, 2015

EDUARDO CUNHA, 2016, SERÁ A SUA VEZ

O ano de 2016 promete ser árido para o deputado Eduardo Cunha, incompreensívelmente, presidente da Câmara Federal. Contra ele, vêm artilharia pesada de todos os lados.  O que corrobora a tese acadêmica, segundo a qual, "malandro demais vira bicho".

Veja matéria de Época:


Documentos revelam que Eduardo Cunha omitiu contas no exterior

Presidente da Câmara é suspeito de ter cometido crime de evasão de divisas e de tentar "embaraçar" a investigação, segundo material do Banco Central analisado por procuradores da Lava Jato

THIAGO BRONZATTO, ANA CLARA COSTA COM RICARDO DELLA COLETTA
23/12/2015 - 21h10 - Atualizado 24/12/2015 09h30
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro, encerrará 2015 sendo atacado por vários lados – do Planalto às ruas, doPMDB à Polícia Federal. A ofensiva mais recente partiu da Procuradoria-Geral da República em conjunto com o Banco Central (BC). Documentos em posse dos procuradores da Operação Lava Jato e obtidos por ÉPOCA revelam que o parlamentar e sua mulher, Cláudia Cruz, estão sendo investigados por suspeitas de crime de evasão de divisas, de omissão de informações e por atrapalhar a apuração dos processos e inquéritos em curso contra eles. Esses novos elementos deverão reforçar o pedido da procuradoria para o afastamento de Cunha da presidência da Câmara no início do próximo ano e fundamentaram a instauração de um processo administrativo no Banco Central – que analisará, inclusive, as novas contas do parlamentar no exterior. Daqui em diante, a artilharia em direção a Cunha, como revela o material, será cada vez mais pesada.
Eduardo Cunha  (Foto: Adriano Machado)

Logo após o presidente da Câmara dar uma série de entrevistas na primeira quinzena de novembro, confirmando a existência de seus recursos no exterior, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um ofício questionando o Banco Central sobre as medidas tomadas pela instituição diante das declarações do parlamentar. A partir daí, foi feito um vasto levantamento na base de dados de capitais no exterior entre dezembro de 2001 e dezembro de 2014. O departamento econômico do Banco Central constatou, então, “a ausência de declaração para quaisquer desses períodos”. No dia 18 de novembro, a autoridade monetária enviou uma notificação para Cunha e sua mulher pedindo esclarecimentos em 15 dias sobre seus bens detidos fora do Brasil e para que justificassem também a falta de registro desses recursos no sistema do Banco Central. No dia 3 de dezembro, os advogados de Cunha responderam à autoridade monetária, dizendo que o objeto de investigação é o mesmo do inquérito em trâmite no Supremo Tribunal Federal, ao qual não tiveram acesso integral, o que inviabilizaria qualquer resposta.
Documento do BC acusa Cunha de omitir contas no exterior (Foto: Reprodução/Época)

Em 18 de dezembro, o procurador-geral do Banco Central, Isaac Sidney Menezes Ferreira, enviou um relatório duro à Procuradoria-Geral da República. Ele diz no documento que o presidente da Câmara se omitiu “por 14 anos do dever de declarar ao BCB os valores de bens ou diretos existentes fora do território nacional”. Além de destacar os US$ 4 milhões identificados num trust na Suíça, a autoridade monetária também chama a atenção para uma nova conta no Israel Discount Bank, que seria utilizada pelo parlamentar para receber propinas de contratos do FI-FGTS, conforme revelou ÉPOCA em 16 de dezembro.

A Resolução 3.854 do Banco Central prevê que todo brasileiro residente que tiver uma quantia igual ou superior a US$ 100 mil depositada no exterior precisa declarar o dinheiro anualmente. Trata-se de procedimento obrigatório a qualquer cidadão – isso inclui o presidente da Câmara dos Deputados. No âmbito administrativo, a não declaração implica multa de R$ 125 mil a R$ 250 mil.
O Banco Central pediu esclarecimentos a Eduardo Cunha sobre seus bens no exterior
Isaac Ferreira diz, em seu texto, que Cunha agiu com “deslealdade processual” ao se negar a responder a notificação do Banco Central. A atitude entra no rol de manobras do peemedebista para criar empecilhos na apuração de atos impróprios atribuídos a ele, sobretudo depois que suas contas mantidas na Suíça foram reveladas pelo Ministério Público do país europeu. O procurador do BC embasa sua argumentação no fato de Cunha ter tido acesso à cópia integral da investigação criminal conduzida no Supremo desde o dia 21 de outubro deste ano e que, em posse desses documentos, poderia ter prestado esclarecimentos sobre suas contas ao Banco Central antes da notificação expedida pela autoridade, em 24 de novembro. O parlamentar, na visão do BC, teria procedido com “reprovável subterfúgio destinado a embaraçar as investigações”. “A atitude arredia do Sr. Eduardo Cosentino da Cunha revela desapreço e, até mesmo, singular menosprezo institucional ao BCB”, escreve Isaac Ferreira. Na conclusão do despacho, o procurador-geral do BC ainda informa à procuradoria que foram encontrados elementos indicativos de que Cunha e sua mulher, alvos de um processo administrativo instaurado pela autoridade monetária, praticaram crime de evasão de divisas por terem mantido “depósitos não declarados à repartição federal competente”, conforme prevê a lei.
Agora, caberá à PGR decidir se vai instaurar um novo inquérito sobre evasão de divisas contra o deputado e sua mulher, o que reforçaria o pedido de seu afastamento do cargo. Procurado por ÉPOCA, o deputado Eduardo Cunha disse: “Os advogados já responderam aos questionamentos na forma de petição, mas cabe ressaltar que se trata de matéria protegida por sigilo fiscal, e o fato de haver vazamentos de informações sobre o assunto pode ensejar ação judicial. Não tenho conta em qualquer banco de Israel, desminto com veemência essa informação e desafio quem quer que seja a prová-la”. Por meio de nota, o BC afirmou que “não se manifesta sobre assuntos sujeitos a sua fiscalização e nem sobre eventual colaboração com órgãos de persecução penal”.

VEJA ACUSA MINISTRO DO SUPREMO DE PRATICAR VIGARICE

O vetusto Supremo Tribunal Federal, último bstião da Constituiçõ do Brasil, está na berlinda, "na boca de Matilde". A grande imprensa, sem qualquer cerimônia, afirma que o grande Tribunal desceu pra pista pra negócios.

A revista Veja desta semana revela um vídeo em que flagra o ministro Luiz Barroso, omitindo trechos do regimento interno da Câmara, para sustentar sua decisão à favor do voto aberto para escolha da comissão que analisaará o processo de impeachment da presidente. "Uma vigarice"; diz a revista.

Leia matéria na coluna do Augusto Nunes, em Veja.

SOS CRIANÇA PERDIDA

(Do mural do Alexandre Paiva, no facebook)


👆👆Ajuda a compartilhar ai gente! Esse menino esta perdido no Timbozao do Aeroporto em campos! Não sabe tel nem sabe dizer onde mora!!!


FELIZ ANO NOVO!

quinta-feira, dezembro 24, 2015

FELIZ NATAL

Já é quase Natal.
Minha memória me toma pela mão e me leva de volta à casa de minha infância. O telhado assimétrico, na avenida descalça, Governador Roberto da Silveira, no bairro do Careca, que eu tinha vergonha de dizer quando me perguntavam onde eu morava, as janelas de madeira maciça, castigadas de sol.
No quarto de minha mãe, o cheiro permanente de seu perfume, o guarda vestido, de duas portas e um compartimento no meio, de portinholas de madeira e cortinas, onde ficavam seus pertences mais caros: a bolsa de dinheiro contado, os vidros de perfume, os rosários e as vistosas fitas do Apostolado.
Minha mãe. Moça ainda, forte, destemida, se preparando para a Missa do Galo, na matriz. A ceia simples, mas de sabor inequecível, era servida depois do compromisso com o Menino Jesus. Eu achava surpreendente que Jesus tivesse sido Menino, como eu. Menino Jesus, ora veja!.
Meu Deus, e aquele menino, na janela da sala, de olho no céu, esperando, ansiosamente, Papai Noel, sou eu.
Os presentes nunca vieram. Minha mãe se encarregava das desculpas. "Choveu e o trenó não pode vir, ele passou, mas como a rua estava muito escura, ele errou o endereço". Eu fingia uma zanga e logo corria pra rua, cheia de poças d'água da chuva da noite passada.
Mas, na verdade, presente era um luxo pra quem tinha o mundo inteiro ao seu dispor na chácara de laranjeiras, mangueiras, e tantas outras frutas, sem contar as goiabeiras que serviam para brincadeiras acrobáticas.
Pra que presente, para quem tinha balebas, bolas de couro, valão pra tomar banho escondido, seis irmãos para almoçar e dormir juntos e uma menina no grupo escolar Barão de Macaúbas, inacessível, mas minha namorada nos sonhos, onde eu era rei.
Já é quase Natal lá no morro do Careca. Hora do sagrado compromisso da Missa da meia noite, onde eu, irremediavelmente, perdia a batalha para o sono. O Menino Jesus, por certo, dormia também.
Pra que presente para quem tinha a guiá-lo, a mão firme, doce e carinhosa do seu jeito, de sua mãe.
Já é quase Natal aqui.
A memória se despede e volto pro tempo presente.
Ficaram longe o menino que fui, o Natal que era e minha mãe.
Contudo, Feliz Natal!
(FLF - 24122015)
(Fotografia: Patrícia Bueno)


quarta-feira, dezembro 23, 2015

UM TAPA NA CARA DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Esta fotografia é um sonoro tapa na cara da sociedade brasileira. O deputado Eduardo Cunha, dono de uma imunda folha corrida, ainda presidente da Câmara Federal, sentado à mesa com o presidente do Supremo Tribunal Federal, o último bastião da constituição, Ricardo Lewandowsky, para dirimir dúvidas sobre o rito do impedimento de presidente da República, votado pelo STF.

Para este fim, existe o embargo declaratório. O que o "Coisa Runha" quis e conseguiu é mostrar que o STF tá na pista.

Veja matériaa do G1:

ABSURDO! ABSURDO! ABSURDO!

video

GOVERNADOR DECRETA EMERGÊNCIA NA SAUDE DO RIO DE JANEIRO

É gravíssima a crise na Saúde Pública do Estado do Rio de Janeiro. O governador Luiz Fernando Pezão acaba de decretar emergência no setor e um gabinete de crise, envolvendo autoridades do Estado e do governo federal, será instalado, nesta quinta feira, 24.

Veja matéria do G1:

23/12/2015 19h38 - Atualizado em 23/12/2015 21h12

Pezão decreta situação de emergência na saúde do RJ

Governador quer acelerar a arrecadação para solucionar a crise.
Albert Schweitzer e Rocha Faria devem ser normalizados até sábado (26).

Marcelo ElizardoDo G1 Rio
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, decretou nesta quarta-feira (23) situação de emergência na saúde. O objetivo é acelerar a ajuda dos governo federal para tentar solucionar a crise nos hospitais estaduais. O governador afirmou que, desde terça (22), o estado já conseguiu R$ 297 milhões e que tem esperança de que as unidades tenham o atendimento normalizado já nesta quinta (24), véspera de Natal.
"Peço desculpas à população do Rio de Janeiro. Tenho esperança que amanhã já estaremos com a situação melhor", disse Pezão.
Para o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame, com a emergência decretada haverá mais conforto jurídico para repassar materiais para o Rio. Ele anunciou que 200 itens hospitalares, como gazes, próteses e esparadrapos, serão doados, em valor equivalente a R$ 20 milhões. O governo depositará imediatamente mais R$ 45 milhões.
Essa verba federal é somada a 152 milhões da arrecadação do Tesouro Estadual e mais R$ 100 milhões de um empréstimo da prefeitura, anunciado pela manhã. O governo federal ainda vai depositar mais R$ 90 milhões – R$ 15 milhões em 30 de dezembro e R$ 75 milhões em 10 de janeiro.
Com os R$ 387 milhões, segundo o governador, será possível atravessar o "Ano Novo com todas as unidades abertas" e manter a saúde do estado em pleno funcionamento até 15 de janeiro.
"A situação mais difícil entre todos os estados brasileiros é a nossa. Conto com a ajuda de todos os poderes e com a presidente Dilma", disse o governador, que declara não ter "dinheiro em caixa".
Dilma, que tinha agenda pela manhã no Rio, cancelou a viagem e anunciou a criação de umgabinete de crise. O gabinete foi formado numa reunião onde, além da presidente, estavam os ministros da Saúde e da Fazenda, o presidente da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. Pezão participou por videoconferência e chamou o gesto de Dilma de "extraodinário".
Ficou decidido que os seis hospitais federais no Rio vão funcionar de forma integrada com os hospitais das redes estadual e municipal. O ministro da Saúde disse que o governo do Rio tem dinheiro a receber e que o ministro da Fazenda vai analisar como fazer os repasses. Sobre uma possível ajuda do Exército, o ministro afirmou que o governador Pezão ainda não fez um pedido formal.
  •  
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, deu entrevista coletiva nesta quarta (Foto: Marcelo Elizardo / G1)Pezão deu entrevista coletiva nesta quarta-feira (Foto: Marcelo Elizardo / G1)
Liminares
Pezão disse que vai recorrer de duas liminares obtidas contra o estado na Justiça. Uma, obtida pelo Tribunal de Justiça do Rio no Supremo Tribunal Federal, determina o pagamento dos funcionários do Judiciário até o dia 30. A outra, pelo sindicato dos médicos na Justiça, determina a transferência de recursos para hospitais do estado em 24 horas.
"Eu não tenho dinheiro em caixa. O que eu tenho eu estou pagando a saúde. É a minha prioridade. O que entrou, é o meu compromisso, eu falei isso durante a semana. Meu compromisso era pagar os funcionários do estado, arranjar a solução que nós arranjamos para os 40% que faltavam do 13º salário e todo dinheiro que entrar até o final do ano vou destinar para a saúde", disse Pezão.
Segundo a decisão a favor dos médicos, os repasses deveriam ser depositados no fundo estadual de saúde até quinta pela manhã. Se o estado não cumprir ou conseguir derrubar a liminar, tem que pagar multa de R$ 50 mil por dia. Também foi estipulada uma multa pessoal, de R$ 10 mil por dia, para os secretários de Fazenda, de Saúde e para o governador.
Situação dos hospitais
Um relatório do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), baseado nos relatos dos médicos que trabalham na Região Metropolitana do Rio, mostra aponta as unidades estaduais que estão praticamente desativadas devido à crise financeira que afeta a saúde do estado. Os casos mais graves são no Hospital Albert Schweizer, em Realengo, o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, e no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias (veja a lista completa).
No Getúlio Vargas, a crise na saúde provocou uma cena de desespero na manhã desta quinta. Uma mulher chorou e se revoltou após ver o tio morrer na porta da unidade, que foi fechada com tapumes e ficou sem atendimento de emergência. Como mostrou o RJTV, a mensagem dizia que só pacientes com risco de morte iminente serão atendidos.
Ela diz que o tio morreu à noite, e culpa o hospital pelo ocorrido, devido à falta de atendimento e medicamentos. O hospital alega que ele já chegara morto ao local. Enfermeiras contam que, durante a madrugada, foram feitas 16 cirurgias, quase todas sem o material e medicamentos adequados. Na tarde desta quarta-feira, 25 pacientes estavam internados no local.

GREVE DOS RODOVIÁRIOS DE CAMPOS

video

Véspera de Natal.Os governantes e os empresários do setor de transportes de passageiros já fizeram suas compras,  já programaram suas ceias natalinas.

Os trabalhadores aguardam salário atrasado e a primeira parcela do 13º.

OPOSIÇÕES, EM CAMPOS, REUNIDAS, NESTE MOMENTO, NA CÂMARA DE VEREADORES

Uma imagem vale mais que mil palavras.

Este flagrante que recebi, por messenger, revela a primeira e efetiva reunião das Oposições no Município.

Vereadores de Oposição mais o ex-prefeito, Arnaldo Vianna, o deputado Papinha e os peemedebistas Nelson Nahim e o deputado Geraldo Pudim, estão reunidos, neste momento, na Câmara Municipal de Campos.


Volto ao assunto mais tarde.

BOMBA DO TRANSPORTE COLETIVO FICA NAS MÃOS DOS TRABALHADORES

(Fotografia enviada pelo Saulo Maciel)
Flagrante do terminal Rodoviário Luiz Carlos Prestes, nesta quarta feira, 23, de paralisação dos rodoviários.

Os empresários dizem que não pagaram o mês e nem anteciparam  a primeira parcela do décimo terceiro salário por causa do não cumprimento do repasse do valor da passagem subsidiada.

O governo municipal se defende afirmando que os empresários estão inadimplentes e que não cumpriram as exigências do programa de passagem social.

Mas, a pergunta que não quer calar: tinham que deixar para esta merda explodir agora, justo no final do ano? próximo das festas de Natal e Ano Novo?

Empresários e governantes se sentarão ao redor de mesas fartas, enquanto o trabalhador amarga frustração e tristeza.


RODOVIÁRIOS DE CAMPOS CRUZAM OS BRAÇOS

A paralisação dos rodoviários de Campos alcançou 90 por cento da categoria. Os trabalhadores reclamam de atraso de pagamento do mês e da primeira parcela do décimo terceiro. Os ônibus estão estacionados no cais da Lapa.
Os empresários culpam a prefeitura de não repassar a parcela da passagem subsidiada.
Informação do repórter Diego Machado da Silva da Radio Absoluta.

CHICO BUARQUE É INSULTADO, NA RUA, POR DEFENDER O PT

Chico Buarque de Holanda, que dispensa apresentações, foi abordado por um grupo de rapazes, quando saia de um restaurante, no Leblon, zona sul carioca, que o insultou por defender o PT e  a presidente Dilma. Entre a turma que pregava o impeachment, estava um filho do empresario, Alvaro Garnero.

Chico não se exaltou hora nenhuma. O site Glamurama reproduziu o vídeo da discussão. Veja:


OBSERVATÓRIO DE CAMPOS: VENDA DO FUTURO AINDA NÃO OCORREU

(Do Observatório Social de Campos)



PARA INGLÊS VER: DO VÔO DE GALINHA AO ENGODO, O QUE HÁ POR TRÁS DA VENDA DO FUTURO.

Com toda a confusão e dívidas gerados pelo governo Rosinha Garotinho, mal assessorado pelo seu secretário de governo, que com a autoridade de esposo faz um grande estrago na administração do município de Campos dos Goytacazes que nada tem a ver com isso, portanto, nenhuma legitimidade ou autoridade possui delegada pelo voto popular, nenhuma autoridade institucional possui para se lançar calando completamente quem tem o mandato outorgado pelo processo democrático no qual vivemos.

A "VENDA DO FUTURO" - que busca mais recursos para serem mal gastos pelo governo Rosinha Garotinho, que já torrou R$ 17 BILHÕES DE REAIS - divulgada no Diário Oficial do Município, por duas vezes, em 14/12/2015 e 18/12/2015, com valores discrepantes, dando como certa a operação financeira com a Caixa Econômica Federal não passa de um devaneio digno do desespero de uma gestão à força que tudo faz para manter a aparência tal qual sepulcro caiado: vistoso por fora, mas podre por dentro.


A crise do governo Rosinha Garotinho agora, mais do que nunca, é de falta de credibilidade. A notória credibilidade arranhada e amassada com a população, foi ampliada agora com os credores - que são muitos - pois também foram iludidos com a divulgação por duas vezes, no DIÁRIO OFICIAL, que o crédito estaria com o valor definido, contratualizado com a Caixa Econômica Federal e prestes a entrar nos cofres da prefeitura, para desafogar quem trabalhou e precisa receber. "Não é verdadeiro que há crédito disponibilizado neste momento", garante a Superintendência da Caixa Econômica Federal representada pelo sr. Paulo Roberto Zacarias, em reunião hoje com este Observatório. O sr. Paulo Roberto Zacarias, garantiu que não há nada contratualizado com a prefeitura de Campos, nada assinado, tão pouco valor disponibilizado. O que há, disse ele, é "um processo de negociação que supostamente será finalizado em 28/12/2015".

Temos feito eventos públicos, além da campanha com coleta de assinaturas que atingiu mais de 13.000 assinaturas contra a "VENDA DO FUTURO", fizemos convites por ofício à prefeita Rosinha Garotinho, em maio deste ano - "VENDA DO FUTURO", na ACIC - e em novembro último - OLHO VIVO NO DINHEIRO PÚBLICO (em parceria com a Controladoria geral da União), no UNIFLU. Porém, em nenhuma destas oportunidades houve comparecimento da prefeitura para um debate franco, deixando evidente o desinteresse em tratar com responsabilidade a coisa pública. Por isso não há registro da operação financeira contraída com o Banco do Brasil em 12/2014, tão pouco desta suposta "VENDA DO FUTURO" com a Caixa Econômica Federal, no portal do Tesouro Nacional, SADIPEM (Sistema de Análise da Dívida Pública, Operações de Crédito e Garantias da União, Estados e Municípios):


O caso de quem usa de forma inadequada o Diário Oficial, divulgando fatos inexistentes é gravíssimo, digna dos maiores envolvidos nos escândalos políticos deste país dando supostos contornos indesejáveis de "lava jato" ao que ocorre em Campos, especialmente no governo Rosinha Garotinho, que se complica a cada episódio.

O que está por trás e move toda essa articulação irresponsável do governo Rosinha Garotinho, é uma insaciável e desmedida busca pelo poder não importando a quem prejudique ou engane, por isso continuamos contra a "VENDA DO FUTURO", com um aparente novo elemento: não há credibilidade, também, no Diário Oficial! Logo, com esta atitude de fachada, para inglês ver, se houver algum recurso financeiro disponibilizado pela Caixa Econômica Federal, não possibilitará alçar grandes vôos, nem quitar as inúmeras e progressivas dívidas, pois tende a ser pouco expressivo, desta forma um clássico vôo de galinha, composto de uma quebradiça aparência recheada de lorota e prepotência.

REUNIÃO COM O SR. PAULO ROBERTO ZACARIAS:





OFÍCIO 022/2015 PROTOCOLADO:






Aguardamos respostas precisas e sinceras aos nossos questionamentos, para que Campos possa enfim progredir, visto não merecer os maus tratos destes tempos onde o anunciado amor tem contornos de espancamento.